quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Forno crematório produzido no Brasil chega ao mercado

Empresa catarinense garante emissões abaixo do estabelecido pelo Conama

Um novo modelo de fornos crematórios chega ao mercado brasileiro pela Jung, indústria situada em Blumenau (SC). Os aparelhos já saem de fábrica com as sondas necessárias para atender a resolução do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente).  “As emissões do forno da Jung ficam 70% abaixo do limite estabelecido pelo  Conama. Devido à tecnologia em isolamento térmico, o forno está pronto para a primeira queima em menos de dez minutos”, destaca o diretor Jonas Luchtenberg.

A Fornos Jung desenvolveu uma linha completa de fornos crematórios e acessórios periféricos, com tecnologia que garante alta eficiência energética e controle de emissões para atender à normatização vigente. O primeiro equipamento já foi instalado no Cemitério São José, em Blumenau.

O modelo da Jung foi projetado para até seis cremações por dia. A temperatura do forno chega a 1200o C. A interface com o operador é touch screen, de fácil operação, e permite armazenar dados de todas as queimas e acesso remoto ao processo. Os queimadores podem operar com gás natural ou GLP e possuem cavalete completo para atender às normas técnicas.

O forno crematório possui chaminé para exaustão e mesa de alimentação automática para facilitar o carregamento. O isolamento térmico é construído em módulos que permitem rápida manutenção. Para atender à legislação ambiental que limita as emissões geradas pelos fornos crematórios, o aparelho vem equipado com sistema exclusivo de controle do processo através do monitoramento e registro de CO e O2, nos gases de combustão e de pressão na câmara de combustão primária. 


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Aulas de cerâmica ajudam a combater o estresse

Assista, abaixo, reportagem que fala dos benefícios das aulas de cerâmica no combate ao estresse.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Jung cria catálogo de Forno Carro

A Fornos Jung acaba de lançar um novo catálogo de Forno Carro. O material já está disponível no site da indústria. Confira o catálogo, clicando nas imagens abaixo.


terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Dicionário do Artista – Da letra E à L

Hoje, você vai conhecer os sinônimos de palavras do Dicionário do Artista que iniciam com as letras E, F, G, H, I, J e L. Para visualizar todo o dicionário, basta acompanhar os próximos posts aqui no blog ou acessar o site da Jung.

Letra E

Encolhimento. Dá-se no processo da evaporação da água contida na argila ou massa. Também ocorre na queima de biscoito, um percentual menor, em materiais orgânicos existentes na composição da massa. O encolhimento varia de acordo com os componentes minerais existentes no material. Quanto mais plástica for a massa ou argila, maior vai ser o encolhimento.

Engobe. É uma argila bastante líquida. Ela é usada para decorar as peças já cozidas e pode-se colocar corante na mesma. Tem uma aparência de água de barro.

Esmalte. As composições dos esmaltes (vidrados) são inúmeras e suas formulações dependem das características do corpo cerâmico. Contém os seguintes elementos básicos: vitrificantes, fundentes, estabilizantes, colorantes e opacificantes. A sílica (quartzo) é o principal material vitrificante.

Esmalte de Alta. Ocorre quando a temperatura excede 1201°C.

Esmalte de Baixa. A fusão ocorre quando a temperatura eleva-se até 1000°C.

Esmalte de Média. A fusão ocorre quando a temperatura eleva-se até 1201°C.

Esmalte Saturado. Material híbrido usado em decoração, entre vidrado e colorante aplicado superposto com outro esmalte.

Esmalte de Relevo. Usado em decoração. Material híbrido entre esmalte e engobe. Forma texturas bem desenhadas.

Letra F

Faiança. É uma massa de baixa temperatura, de cor clara, é porosa, pouco densa, frágil. Usa-se na forma de Barbotina para a confecção de peças em moldes de gesso.

Fibra de Vidro. Material misturado à argila para aumentar a plasticidade e resistência na secagem. Ideal para o uso em peças com formas complexas. Queimada em alta temperatura, funde-se à massa.

Fragmentação. Ocorre no fim da queima quando o esmalte não adere. Soltam-se fragmentos das paredes da peça.

Fundente. O óxido de chumbo e os demais óxidos fundentes são associados com outros da mesma natureza. Cada fundente atua numa determinada faixa de temperatura. Principais fundentes: óxido de sódio, de chumbo, de potássio, de lítio, de cálcio, de zinco, de magnésio, de bário, de boro, de bismuto e de estrôncio.

Letra G

Goma Arábica. Produto vegetal usado como agente aglutinante na aplicação de pigmentos sobre peças já esmaltadas e queimadas. Mistura-se também em esmaltes que soltam pó antes de levar as peças ao forno.

Letra I

Incisão. É a técnica que consiste em escavar ou abrir uma fenda em uma superfície de argila.

Letra J

Jazidas. Lugar onde são extraídas as argilas/barros.

Letra L

Lustre. Tipo de decoração que consiste da aplicação de uma película na superfície da peça, contendo sais metálicos, os quais dão efeitos de ouro, prata e cobre. Queima de baixa temperatura.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Conheça os produtos e novidades no site da Jung

A Fornos Jung completou 30 anos em 2010 e, para comemorar, lançou um novo site, com layout e informações novos. Lá, você encontra notícias da empresa, as diferentes linhas de produtos, a história, além de dados sobre a participação em eventos e feiras. Acesse! http://www.jung.com.br/

Ao mesmo tempo, a Fornos Jung fortalece a presença nas redes sociais com a criação deste blog – Jung e Arte. A ideia é publicar materiais voltados para artistas plásticos e para os interessados na linha artística da Jung. A empresa também tem perfis no Orkut, Facebook, Flickr e Twitter. Não perca tempo e participe de nossas redes!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Fornos Jung é destaque na mídia nacional

A Fornos Jung é um dos destaques da Revista P&S, edição 431. Confira, abaixo, a nota publicada no meio de comunicação.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Jung cria catálogo de forno tipo poço

A Fornos Jung acaba de lançar um novo catálogo de fornos tipo poço. O material já está disponível no site da indústria. Confira o catálogo, clicando na imagem abaixo.

Fornos Jung lança catálogo de estufa para teste de Burn In

A empresa blumenauense acaba de lançar o catálogo de estufa para teste de Burn In. O material gráfico está disponível no site da Fornos Jung. Clique na imagem abaixo para visualizar o catálogo em tamanho maior ou aqui para acessar no site da Jung.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Fornos Jung cria catálogo de fornos crematórios

A Fornos Jung acaba de lançar um novo catálogo de fornos crematórios. O material já está disponível no site da indústria.

Clique aqui para conhecer o catálogo ou confira a imagem abaixo.


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dicionário do Artista – Letras B, C e D

Dicionário do Artista – Letras B, C e D

Hoje, aqui no blog da Jung, você tem a oportunidade de conhecer sinônimos de palavras  do Dicionário do Artista que iniciam com as letras B, C e D. Para conhecer todo o dicionário, basta acompanhar os próximos posts aqui no blog ou acessar o site da Jung.

Letra B


Barro. É a mesma coisa que argila.

Barro Gordo. Argila com muita plasticidade possuindo bom manuseio. Contém bastante água. Pode-se moldar com facilidade sem quebrar ou rachar.

Barro Magro. Argila sem plasticidade possuindo pouco manuseio da massa. Contém pouca água. Muito quebradiço, rachando com facilidade. Ela torna-se um pouco dura na modelagem.

Bentonita. É uma argila bastante maleável, pois ela é muito fina . Ela suga muita água por ser plástica. Absorve água em quantidade 20 vezes maior em relação ao seu peso. Mais usada em conjunto com barros magros. Pode ser usada na composição de esmaltes adicionado, pois serve de suspensão para evitar o endurecimento e o depósito no fundo da balde.

Biscoitada. Peça que já foi cozida.

Bisnaga. É um recipiente para colocar argila.

Bolha.Quando a massa é cozida de forma muito rápida, ela fica com bolhas na sua superfície.

Brunir. Para a peça ficar mais lisa pode-se usar um pedaço de couro ou uma colher de metal, ou ainda um pedaço de osso. Dar polimento a peça. Ela vai ficar mai bonita e viçosa e menos permeável. Método muito usado em tempos antigos.

Letra C

Calor vermelho. A argila vai mudar a cor dependendo da temperatura que atingir.

Cana. Material feito de bambu para deixar as peças lisas.

Carbonato de Cálcio. É um oxido de Cálcio. Ele tem a função de branquear as peças, a fundição é de maior absorção.

Cerâmica. É o que chamamos de argila ou massa. Modela-se e queima-se em temperatura superior a 600O C. Fica dura e resistente. Para se tornar completamente impermeável necessita ser esmaltada para obter uma camada vítrea.

Chacota. É uma placa cerâmica pequena quadrada, biscoitada, que quando decorada e esmaltada recebe o nome de Azulejo.

Ciclo. Tempo da queima.

Coité. Pedaço abóbora usada na moldagem e acabamento das peças.

Cone Pirométrico. É um cone usado para medir a temperatura interna do forno.

Contração. É quando o esmalte e a argila se unem, se contraem durante a queima.

Craquelado. São rachaduras superficiais que acontecem após a queima no esmalte.

Letra D

Decalque. É uma aplicação na superfície da peça para isolar a área que não se quer esmaltar.

Dilatação. É a expansão da argila e do esmalte que ocorre durante a queima. Se acontecer de o esmalte se expandir mais do que a argila deixa área sem esmalte ou deixa uma camada de esmalte muito fina e opaca. Quando se expande menos deixa área com muito esmalte podendo surgir inúmeros tipos de imperfeições. 

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Fornos Jung participa do Prêmio Sesi Qualidade no Trabalho

Desde 2000, a Fornos Jung promove o programa de incentivo ao uso de bicicleta como meio de transporte para o trabalho. Para Eldon Egon Jung, fundador da empresa, esta atitude pode ser a solução para problemas da atualidade, entre eles o sedentarismo, o caos no trânsito urbano, a poluição do ar e sonora. O projeto é um sucesso entre os funcionários e levou a Fornos Jung a participar do Prêmio Sesi Qualidade no Trabalho, que tem como objetivo estimular empresas e indústrias brasileiras a incorporarem a responsabilidade social como parte integrante das estratégias, mediante o reconhecimento e difusão de boas práticas.

O prêmio terá duas fases classificatórias: uma estadual e outra nacional. Ao todo, serão escolhidas 18 empresas na primeira fase. Na etapa seguinte, participarão até 486 práticas sociais. Desses, 18 projetos serão premiados, um em cada modalidade/porte.

Quando o projeto foi implantado pela Jung, a ideia era estimular o engajamento dos colaboradores nas ações de desenvolvimento socioambiental. Além disso, prevenir e reduzir danos ambientais, incentivar a mudança de hábito, melhorar a qualidade de vida dos funcionários, proporcionando atividade física compulsória e auxiliar na redução do número de veículos em circulação.

A fim de envolver a comunidade na preservação ambiental e desenvolver o voluntariado empresarial, a empresa se aliou à ONG Associação Blumenauense Pró-Ciclovias. A parceria tem como objetivo fomentar a implantação de ciclovias, apoiar a educação no trânsito e eventos relacionados ao uso da bicicleta, prestar consultoria e orientação na elaboração de projetos que priorizam a locomoção de ciclistas, pedestres e pessoas com deficiência, entre outras ações.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Veja dicas para a queima de peças artísticas (continuação)

O que é “temperatura ideal”?

Cada cor (pigmento) precisa atingir um determinado grau de temperatura para deixá-la com sua luminosidade própria (brilho). Existe também uma tolerância maior ou menor de cada pigmento, quanto às misturas entre si, que ococrrem principalmente na pintura impressionista (em forma de “esfumaceado” – quando as cores se confundem).

A “temperatura ideal” é quando se consegue equilibrar essas pequenas diferenças de temperatura entre os pigmentos e os diferentes materiais, conseguindo a luminosidade das cores e textura de forma padronizada em toda a peça, sem desbotar as cores, quer sejam cores puras ou misturadas entre si.

E essa temperatura personalizad do seu forno se consegue descobrir através das queimas de testes. Por isso, recomendamos que se faça queimas de testes com várias cores e em diferentes materiais, utilizando pinceladas de cores puras e outras pinceladas com outras cores para observar o resultado.

Quando à pintura, existem algumas cores que exigem mais atenção, conforme a tabela abaixo:


Aos poucos, você vai descobrir que as técnicas são infinitas e para cada técnica tem a temperatura considerada ideal. Após algumas queimas você saberá rapidamente qual a “temperatura ideal” de seu forno.

Nada nos impede de misturar na mesma fornada peças de diferentes materiais (ex.: porcelana, faiança...) tudo depende da técnica aplicada e saber antecipadamente qual a temperatura ideal para ambas ficarem com a mesma qualidade de queima

Campo Homogêneo

A temperatura homogênia está no centro do forno, onde inicia o “campo” homogêneo. Este campo vai aumentando do centro em direção às paredes e termina perto delas, a uma distância entre 5 a 10cm. Este campo sempre é menor que o forno.

Enquanto não conhecer o campo homogêneo de seu forno, e necessitar de uma queima igual para todas as peças, é aconselhável distanciar as peças da soleira, do teto e das quatro laterais.

O ideal é fazer fornadas de teste com montagens diferentes. Usar aquelas cores que modificam com pequena variação de temperatura.

Fazer uma “mapa” como estavam colocadas, para, após a mesma quima, demarcar o campo que ficou bom. Anotar a temperatura e o tempo de patamar.

Diversos fatores contribuem para aumentar o campo homogêneo.

Os principais são:

- Boa circulação entre peça e próprio forno.
- Patamar com tempo superior a 30 minutos (às vezes deve diminuir a temperatura).

Veja dicas para a queima de peças artísticas

Queima não é o termo correto, mas usa-se para designar o processo em que os metais (pigmentos e óxidos) de tinta se fundem com o esmalte da porcelana ou aderem diretamente no material cerâmico.

Cada forno é um “produto individualizado”, quer dizer, cada um atinge a chamada “temperatura ideal” marcando a sua temperatura que é captada pelo sensor no interior do forno e transmitida para o controlador no painel. Essas diferenças de temperatura são consideradas normals, o mais importante é descobrir qual “temperatura ideal”, para o seu forno; isso é fundamental para o desenvolvimento de seu trabalho.

Siga alguns passos e veja como é simples:

Como descobrir a “temperatura ideal”?

Fazendo algumas experiências com queimas de teste. De grande ajuda é solicitar ao fabricante das tintas a faixa de temperatura das mesmas.

Pias ou outras porcelanas sanitárias precisam de uma pré-secagem antes da pintura. Proceda da seguinte forma: coloque a peça no forno, deixando a parte porosa livre. Programe o forno até 100ºC com a porta entre-aberta. Observe a umidade sair. Quando não sair mais umidade, a peça estará em condições de ser pintada. Sua queima deverá ser lenta, em torno de cinco horas.

A título de orientação, apresentamos uma tabela com algumas faixas de temperaturas que são usadas como referência, para diferentes materiais e finalidade:



Observe que para cada material relacionado existe uma margem entre temperatura mais baixa e a temperatura mais alta Para experiências em seu forno pode ser utilizado a tabela acima como referência.

Por exemplo: para a primeira queima de teste pode ser utilizada a temperatura mínima indicada; a segunda queima de teste (em outra peça) a temperatura intermediária. Quando fizemos a segunda queima de teste, pode-se então comparar qual das duas atingiu o melhor resultado e, se necessárioc, se faz uma terceira queimda de teste.

Um bom curso de Porcelana ou Cerâmica inclui no seu currículo toda a tecnologia dos materiais que englobam o manejo do forno e sua queima proprieamente dia, ou seja, informar e programar a queima.

Quanto melhor a pessoa conhecer o Forno Jung, poderá se beneficiar da tecnologia para os efeitos desejados.

Vários fatores influenciam no resultado de uma queima:

- Dureza do material (porosidade da peça – absorvendo mais ou menos tinta);
- Peça vitrificada ou biscuit;
- Espessura da peça (peça com partes mistas – partes mais grossas e outras mais finas);
- Qualidade da tinta (procedência da matéria-prima – pigmentos);
- Qualidade do veículo e sua adequada aplicação (óleo, solvente...);
- Preparo das tindas (“batidas” de forma homogênea, sem grânulos, sem satuiração do óleo);
- Tempo de secagem natural antes de ir ao forno (imediatamente após pintada ou alguns dias depois, dependendo da técnica);
- Temperatura inadequada (abaixo ou acima da temperatura ideal);
- Tempo de patamar;
- Carga “abafada”, que dificulta a circulação do calor ( na convecção);
- Espessura do esmalte;
- Temperatura de amolecimento do esmalte;
- Não encostar peças de tintas molhadas;
- Não encostar lajotas diretamente nas resistências.

Esses fatores devem ser levados em conta no momento da comparação de uma peça com outra, após a queima.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Fornos Jung lança forno para esmaltação

A linha industrial da Fornos Jung, de Blumenau (SC), ganha mais uma opção. Chega ao mercado brasileiro um novo forno contínuo para esmaltação. O processo é utilizado principalmente na indústria de eletrodomésticos da linha branca. As peças são guiadas por uma monovia aérea para cumprir o percurso dentro do forno e ficam por apenas cinco minutos submetidas à temperatura de 850°C.

O forno possui um sistema de cortinas de ar que aproveitam o ar aquecido para impedir fuga de calor pelas extremidades, economizando energia. As dimensões úteis são 0,75 x 0,75 x 5 metros. O aquecimento é elétrico, por resistências, e a potência é de 210 kW.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Veja as imagens da Jung na Contaf

A Fornos Jung apresentou diversos produtos da linha artísticas no Contaf – Congresso Nacional das Artes do Fogo, que aconteceu em outubro, na cidade mineira de São João Del Rei. A linha artística da Jung traz diversas opções de fornos para as mais variadas técnicas: porcelana, faiança, cristal, vidro, baixo esmalte e cerâmica. São mais de 25 modelos de fácil operação, indicados para profissionais, iniciantes, artistas autônomos ou indústrias.

Para ver as imagens feitas durante o evento, você pode acessar as principais mídias sociais da empresa. Acesse o Facebook, o Orkut ou o Flickr da Fornos Jung para visualizar as fotos.


sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Dicionário do Artista

No site da Fornos Jung, você encontra diversas informações voltadas para artistas. Uma delas é o Dicionário do Artista. Você pode acessar no site da Jung ou basta ficar ligado nos próximos posts, aqui no blog! Abaixo, você lê alguns sinônimos de palavras comuns à prática das Artes.

Letra A

Alumina. É um componente importante das argilas. Se usada em esmaltes ela serve para impedir que escorra pelas laterais da peça ao se fundir. É componente da argila, do caulim e do feldspato.

Amassar o Barro. Mexer, Bater no Barro. É amassar, deixando a argila compacta, retirando o ar da massa. Isto evita que ocorra uma explosão durante a queima ou rachaduras na secagem. Pode-se também amassar o barro jogando-o com força repetidas vezes.

Antropomorfo. São peças imitando seres humanos (antropomorfas) e animais (zoomorfas). Na arte cerâmica, é comum o artista moldar essas figuras.

Arame de Kanthal. È um fio especial para suportar altas temperaturas, Mais usado em fornos elétricos para suas resistências. Também usado para decoração.

Arco. Equipamento usado para acabamento composto de uma chapa fina de metal.

Areia. Substancia granulosa não plástica contida nas argilas.

Argila. Terra ou rocha composta de silicato de alumínio hidratado, mesmo que Barro. Seus principais componentes são a sílica e a alumina.Tem na sua composição materiais orgânicos (raízes, folhas etc) e inorgânicos (óxido de ferro, quartzo, feldspato, areia etc). Dependendo do lugar encontrado as composições de minerais variam sobre as cores: preta, vermelha, cinza, branca etc.

Argila de Bola.è uma argila Plástica, com elevado índice de retração. Contém pouco óxido de ferro sendo rica em matérias orgânicas. Usa-se com outras massas, pois é muito elástica.

Argila Bruta. Argila bruta, sem misturas assim denominadas.

Argila em Pó. È um barro sem água, então se mistura água para uso.

Argila Primária. È encontrada em seu local de origem, é mais usada para reduzir a elasticidade, quando queimada é pouco porosa.

Argila Reciclada. É o chamado o processo de juntar as sobras e misturar com uma nova massa. Não perdendo características originais da massa.

Argila Refratária. È uma massa diferente da refrataria. É usada em alta temperatura. Em inglês é conhecida por fire-clay.

Argila Vermelha. É uma argila plástica, ela é pouco densa, porosa. Por isso deve ter paredes grossas para aumentar a resistência. Essa massa é para baixa temperatura. Ela contém muito óxido de ferro então apresenta cores diversas, ela é mais usada para fabricação de tijolos, telhas e vasos.

Assinar a Peça. Usa-se para gravar o nome ou a marca do autor também coloca-se a data e o local.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Jung é reconhecida como amiga do Meio Ambiente

A Fornos Jung recebeu o certificado de empresa amiga do Meio Ambiente pela participação na 4ª Edição do Dia Mundial Sem Carro, realizado em Blumenau. Ciente do papel que exerce na comunidade em que está inserida, a Jung fomenta práticas de responsabilidade social. Uma delas está expressa no campo da mobilidade alternativa sustentável com o uso da bicicleta, por meio da Associação Blumenauense Pró-Ciclovias.
O certificado foi concedido pelo Seterb – Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transporte.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Linha artística da Fornos Jung será apresentada em congresso nacional

A Fornos Jung, de Blumenau (SC) apresentará fornos, tornos e acessórios produzidos para a linha artística no Contaf - Congresso Nacional das Artes do Fogo. O evento ocorre na cidade mineira de São João del Rei, entre os dias 20 e 22 de outubro.

A linha artística da Jung traz diversas opções de fornos para as mais variadas técnicas: porcelana, faiança, cristal, vidro, baixo esmalte e cerâmica. São mais de 25 modelos de fácil operação, indicados para profissionais, iniciantes, artistas autônomos ou indústrias.

Os dois modelos de tornos elétricos também serão expostos no Contaf. Eles são direcionados aos ceramistas. Com design moderno, possui características que proporcionam ao artista comodidade e segurança na hora de expressar seu talento.

Além disso, a Jung tem uma grande variedade de acessórios, desenvolvidos especialmente para um melhor aproveitamento do espaço interno do forno, visando garantir boa distribuição do calor, sem prejudicar a queima.

Pincéis na prática do Falso Vitral

Você sabe quais são os pincéis ideais para produzir a técnica de “Falso Vitral”? Para a autora do blog Arte em Vidro, o pincel adequado é aquele que perde menos pelo. Os pelos que o pincel perde, ficam logo colados ao verniz e nem sempre é fácil removê-los sem estragar a pintura.

Se utilizar uma quantidade maior de verniz para preencher os espaços no desenho, conseguirá remover o pelo do pincel com mais facilidade, com a ajuda de um objeto bicudo, como a ponta de uma faca. Se estiver pintando livremente sobre o vidro, será um pouco mais difícil remover o pelo sem afetar o desenho.

A espessura do pincel dependerá do tamanho do projeto que irá desenvolver. Para pequenos detalhes e preenchimento de espaços, o ideal é utilizar um pincel nº2 ou nº3. Se o projeto for de maior dimensão, ou para pintar sobre o vidro livremente, os melhores pincéis são mais espessos (nº4, nº 5 ou superior).

Há muitas marcas de pincéis à venda. Para a autora do blog, a marca não interessa tanto desde que o pincel tenha qualidade. Uma dica: na compra de conjuntos de pincéis, o preço por unidade é menor. Então, para quem utiliza diferentes tamanhos, esta é uma boa opção para economizar.

As informações foram retiradas do blog Arte em Vidro. Para acessar a página, basta clicar aqui.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Jung lança catálogo de estufas estacionárias

A empresa Fornos Jung acaba de lançar um novo catálogo. O material já está disponível no site da indústria e apresenta a linha industrial de estufas estacionárias. Clique aqui para conhecer o catálogo.

Jung lança panelas para transporte de alumínio fundido com tecnologia inédita no Brasil

A Fornos Jung, em parceria com a indústria espanhola Hormesa, acaba de lançar mais uma novidade no mercado de fornos industriais. São as panelas de transporte de alumínio fundido, com tecnologia exclusiva no Brasil e capacidade de 200 a 1.000 quilos.

O revestimento é 100% isolante, não molhável pelo alumínio. “O material isolante não demanda pré-aquecimento, o que economiza energia e tempo de processo. Também reduz o número de equipamentos e a perda de temperatura para o ambiente”, explica o diretor da Jung, Jonas Luchtenberg.

Um estudo comparativo realizado pela própria empresa detectou uma diferença de perda temperatura de 12°C/hora na panela Jung-Hormesa enquanto a concorrente em refratário apresentou 150°C/hora.

Além disso, um sistema basculante com conectores rápidos facilita a movimentação para empilhadeiras. As panelas são adaptáveis em empilhadeiras standard e possuem canal vertedor para maior precisão.

Feira Metalurgia apresenta parceria entre Jung e indústria espanhola

A Fornos Jung participa, de 14 a 17 de setembro, da Feira Metalurgia, que ocorre em Joinville. O estande da Jung vai contar com a presença do diretor da indústria espanhola Hormesa, Angel Aguirre, e do representante da Jung-Hormesa em São Paulo Victor Massuti, da empresa Refraseller. Na Feira Metalurgia, a Jung vai apresentar todos os produtos desenvolvidos em parceria com a Hormesa, utilizando a tecnologia espanhola, com peças 100% nacionais.

“O objetivo de trazer a tecnologia da Hormesa para o Brasil é oferecer ao nosso mercado equipamentos para a fundição de alumínio com alta eficiência energética e metalúrgica. Os equipamentos são projetados para facilitar o processo de manutenção e limpeza e são totalmente adaptáveis ao layout do cliente”, explica o diretor da Jung, Jonas Luchtenberg.

A linha de equipamentos para fundição de alumínio resultantes dessa parceria conta com fornos tipo poço fixos e basculantes, fornos soleira seca e soleira úmida, fornos com torre, fornos revérberos, fornos rotativos, fornos de manutenção sem cadinho, fornos dosadores, fornos combinados, panelas de transporte de alumínio fundido, secadores de cavaco, canais de transporte, desgasificador e outros acessórios.

A Hormesa, com sede em Madrid, na Espanha, está no mercado desde 1990. Presta assessoria e suporte técnico em 20 países distribuídos em três continentes. Possui fábricas na Espanha, Argentina, Colômbia, México e Tailândia. É especialista em fornos e equipamentos periféricos para fundição de metais não-ferrosos.

Sobre a Feira Metalurgia

A Feira Metalurgia está consolidada como o segundo mais importante evento da indústria de fundição do Brasil. Realizada em Joinville a cada dois anos, a Metalurgia reúne expositores nos segmentos de fundição, siderurgia, forjaria, alumínio, serviços, educação entre outros. Em seis edições reuniu 1.610 expositores, que receberam mais de 100 mil visitantes, resultando em R$ 1 bilhão em negócios.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Novos catálogos do forno tipo poço e da estufa para Burn In

Dois novos catálogos da Jung já estão disponíveis no site. Um deles é o de fornos tipo poço para processos de tratamento térmico e o outro é o de estufa para teste de Burn In, que consiste em submeter componentes eletrônicos a condições de superaquecimento para avaliação do desempenho.

Para saber mais sobre esses produtos, acesse os catálogos do forno tipo poço e da estufa para Burn In.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Diretor de empresa espanhola visita Jung

O diretor da indústria espanhola de fornos Hormesa, Gonzalo Aguirre, está no Brasil, onde permanece até a próxima sexta-feira (27). A empresa tem parceria com a Fornos Jung, de Blumenau, na fabricação de fornos de fundição e manutenção de alumínio. Acompanhado do diretor da Jung, Jonas Luchtenberg, Aguirre visita clientes em Santa Catarina, Paraná e em São Paulo.

Em setembro, outro diretor da Hormesa, Angel Aguirre, acompanha a Jung na Feira da Metalurgia, que ocorre entre os dias 14 e 17, em Joinville. No evento, as empresas apresentarão um forno resultante da parceria.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Novo catálogo de fornos para vidro

A Jung acaba de disponibilizar um novo catálogo de fornos para vidro, da Linha Artística. Para conhecer a linha completa acesse o site e baixe o arquivo em formato PDF.

Os fornos dessa linha são indicados para a técnica de fusing - moldagem de vidro, e para aplicação de tinta sobre vidro para produzir peças artísticas como relógios de parede, vasos e bijuterias ou para a fabricação de pastilhas de vidro. Nesses fornos é possível utilizar sobras de vidraçarias na produção das peças, reciclando o vidro. A matéria prima é de baixo custo e as peças produzidas têm alto valor agregado, tornando essa linha de fornos uma ótima opção para empreendedores que desejam ter seu próprio negócio.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Novos fornos com tecnologia espanhola

Os fornos resultantes da parceria com a espanhola Hormesa já podem ser conhecidos no site da Jung. Todos os detalhes da linha completa de equipamentos para alumínio podem  ser vistos acessando o site da Jung.

Compras parceladas no cartão

Para facilitar ainda mais sua compra, a Jung agora aceita cartões de crédito para produtos da linha artística e fogões. Você pode comprar com Visa, Master e Aura e ainda parcelar em até 10 vezes sem juros.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Conheça a história da cerâmica

A cerâmica é o material que acompanha o homem desde os tempos primitivos. Quando saiu das cavernas e se tornou um agricultor, ele necessitava não apenas de um abrigo, como de vasilhas para armazenar a água, os alimentos colhidos e as sementes para a próxima safra, essas vasilhas deveriam ser resistentes, impermeáveis e de fácil fabricação.
Essas qualidades foram obtidas na modelagem de peças em argila. A capacidade da argila de ser modelada (plasticidade) quando misturada com água, e de endurecer após estar seca e mais firme ainda após a queima, permitiu que ela fosse utilizada na produção de utensílios de uso doméstico para o armazenamento de alimentos, vinhos, óleos, perfumes, na construção de moradias e urnas funerárias e até como suporte para escrita, ou seja, registros gráficos.

Todos esses inúmeros usos são importantes para a Arqueologia que estuda a história das civilizações baseada em fragmentos desses utensílios. Há cerca de 2.000 anos, isto é, bem antes da descoberta do Brasil pelos portugueses, já existiam em nosso país populações que fabricavam cerâmicas, eram aldeias instaladas próximas a rios e ribeirões, vivendo da caça e pesca, cultivando determinadas plantas e capazes de manipular convenientemente o barro, produzindo uma gama variada de potes, baixelas e outros artefatos cerâmicos.

Até dutos cerâmicos foram utilizados há 4.000 a.C. no antigo Egito e na Ilha de Creta, em obras de irrigação, drenagem, transporte de água e coleta de esgotos. O Museu Britânico possui uma "manilha cerâmica" retirada de escavações realizadas na Pérsia com cerca de 4.000 anos e que se encontra em perfeito estado.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Jung é destaque no portal CIMM

A Fornos Jung foi destaque no Portal do CIMM (Centro de Informação Metal Mecânica) em agosto em uma reportagem que fala sobre as linhas laboratorial, industrial e artística da empresa catarinense. 

A matéria fala sobre o lançamento do forno para tratamento térmico de ligas de alumínio. O tratamento, também conhecido como precipitação, tem por objetivo aumentar a resistência mecânica das ligas.

Para ter acesso à reportagem na íntegra, clique aqui

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Jung leva marca para a exposição em São Paulo

Durante os 13 e 14 de agosto, acontece 17ª Exposição Anual de Pintura em Porcelana, Faiança e Vidro, em Capinas (SP). A empresa blumenauense Fornos Jung participará do evento por meio da exposição de banner institucional, entrega de sacolas e catálogos e sorteio de manual entre os participantes. A ideia é disseminar a marca da Jung em importantes feiras.

O evento, entre 10h e 19h, será realizado no Hotel Vila Rica, à Rua Donato Paschoal, 100, Parque Itália.

Novo forno para tratamento térmico de alumínio

Um novo forno para tratamento térmico de envelhecimento para ligas de alumínio está sendo lançado pela Fornos Jung, de Blumenau (SC). O tratamento, também conhecido como precipitação, tem por objetivo aumentar a resistência mecânica das ligas de alumínio.

O forno possui 25 m3, opera em temperatura de 500°C e possui circulação forçada de ar. Ele já foi comercializado para um cliente que o utilizará para tratamento de bobinas de fio de alumínio. Mas, a aplicação do forno também é bastante comum em rebites usados pela indústria aeronáutica.

A utilização das ligas de aluminío

As ligas de alumínio são muito utilizadas como materiais de construção mecânica, pelo fato do alumínio poder combinar-se com a maioria dos metais de engenharia. Com essas associações, é possível obter características tecnológicas ajustadas de acordo com a aplicação do produto final.

O grande alcance das ligas oferece à indústria uma enorme variedade de combinações de resistência mecânica, resistência à corrosão e ao ataque de substâncias químicas, condutibilidade elétrica, usinabilidade, ductibilidade, formabilidade, entre outros benefícios.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Congresso de Técnicas para Artes do Fogo reúne pesquisadores e artistas de todo o Brasil

Nos dias 20, 21 e 22 de outubro de 2010, a Fornos Jung participa da sexta edição do CONTAF - Congresso Nacional de Técnicas para as Artes do Fogo, em São João Del Rei (MG), evento que reúne trabalhos de cerâmica, vidro, decoração em porcelana e louça além de esmaltação em metais. Estarão presentes no evento profissionais e empresários do segmento, professores, pesquisadores e universitários.

Este ano a principal atração é a artista dinamarquesa Nina Hole, que ministrará palestra e confeccionará uma de suas famosas esculturas de fogo. Os participantes poderão assistir a queima durante o CONTAF. Também são esperados artesãos e artistas vindos de todo Brasil para apresentarem seus trabalhos.

Outra atração será o 1° Encontro Nacional de Artesãos em Terracota, um fórum com debates e palestras relativos a este tema.

Estão previstas ainda palestras com temas relativos a instrumentos musicais de cerâmica, ensino, design e comercialização. Além disso tudo, será possível a apresentação oral de trabalhos, inscritos pelos participantes e todas as pessoas estão habilitadas à inscrição. Todos os trabalhos técnicos que forem apresentados em forma de palestra, serão publicados nos anais do congresso, além de receber um certificado de apresentação de Trabalho Técnico e concorrer a um Prêmio de Reconhecimento Técnico (a ser definido). Portanto, se você tem alguma descoberta, pesquisa técnica, pesquisa histórica, trabalho sobre educação ou simplesmente deseja compartilhar algo que contribua para o desenvolvimento e relevância das artes do fogo, não perca tempo e inscreva-se já. Para a seleção dos trabalhos técnicos que serão apresentados, serão levados em consideração, além do tema, quesitos como: inovação, ineditismo, conhecimento sobre o tema, interesse dos participantes e aprofundamento no assunto.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Encontro de Artes recebe mais de 400 pessoas

Neste mês de julho, a Fornos Jung participou do Encontro de Artes em São Paulo. Cerca de 400 pessoas prestigiaram o encontro.

Além de ajudar na organização do evento, a Fornos Jung também expôs produtos da linha artística e prospectou oportunidades de negócios. Importantes artistas estiveram no evento, entre eles: Alice Siv, Ladis Cambauva, Gerardo Otero, Rose Borges e Conchita.



terça-feira, 3 de agosto de 2010

Fornos Jung lança forno gradiente para testes com cerâmica

A Fornos Jung apresenta um novo produto em sua linha Laboratorial. Trata-se do forno gradiente indicado para indústrias e laboratórios cerâmicos. A principal vantagem deste formato de equipamento é permitir várias temperaturas de teste em uma única queima, uniformizando os ensaios e simulando as condições industriais no laboratório.

O forno possui seis câmaras com gradiente de temperatura de 50ºC a 100ºC entre elas. Cada câmara possui um controlador que permite ajuste do tempo e temperatura conforme a necessidade do ensaio; a temperatura máxima é de 1.300°C. Todas as câmaras possuem chaminé para resfriamento e liberação de umidade e vapores, sua abertura é controlada pelo programador.

Além do modelo standard o forno pode ser dimensionado de acordo com o processo do cliente. É possível configurar a quantidade e o tamanho das câmaras, a temperatura de operação e o grau de automação.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Programa social de reaproveitamento de vidro contempla jovens de baixa renda no Rio

Assista a uma reportagem do Jornal do Rio com a artista plástica Veronica Rizzo. Ela utiliza o forno da linha artística da Fornos Jung para um projeto social. O programa de reaproveitamento de vidros ensina mais de 40 técnicas a jovens de baixa renda, na cidade de Quatis (RJ). Cada pedaço pode virar diferentes peças decorativas. As aulas protegem a natureza e resgatam a autoestima dos alunos.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Vídeo conta a história da Fornos Jung

Assista, abaixo, matéria que mostra a história da blumenauense Fornos Jung. O vídeo foi veiculado no programa TV Empresa, da Furb TV, no dia 3 de junho. Não deixe de assistir!

Jung e Homesa lançam linha de fornos para fundição de alumínio

A nova linha de fornos para fundição de alumínio, lançado pela Jung na Metalurgia 2010, foi desenvolvida com tecnologia espanhola da Hormesa. O Forno STO é um equipamento elétrico sem cadinho, utilizado para manutenção de alumínio fundido. “A grande vantagem do lançamento é o baixo consumo de energia, apenas 7 kwh/h para manutenção de uma tonelada de alumínio fundido a 700ºC”, comenta Jonas Luchtenberg, diretor da Jung.

Outro diferencial é o refratário do STO desenvolvido para evitar a aderência de compostos pesados com Si (Silício), Mg (magnésio) Mn (manganês), Fe (ferro) e corindo. O equipamento suporta de 500 a 2000 kg de metal e é ideal para trabalhar em conjunto com injetoras de alumínio. Para facilitar a manutenção, conta com elementos de aquecimento modulares. O produto é indicado para fabricantes de autopeças, móveis, puxadores, louças e panelas, perfis e esquadrias, matrizes, equipamentos para aeronáutica, embalagens (latas), máquinas e equipamentos e indústrias de injeção de alumínio em geral.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Fornos Jung participa de Encontro de Arte em São Paulo


O setor de artesanato brasileiro movimenta cerca de R$ 28 bilhões por ano. Estima-se que 8,5 milhões de pessoas estejam de alguma forma vinculada aos trabalhos artesanais. Parte deste público estará reunida no Encontro de Artes em São Paulo, nos dias 23 e 24 de julho. Com a exposição de produtos da Linha Artística, a Fornos Jung é também uma das organizadoras do evento.

O encontro será realizado no Centro de Convenções Trip Iguatemi Hotel, na Rua Iguatemi, nº 150, bairro Itaim Bibi. Serão realizadas demonstrações ao vivo de produção artísticas, com a presença de artistas como Cecília Yoshida, Gerardo Otero, Mario Watanabe, entre outros. Mais informações pelo e-mail esther@esther.com.br ou pelo telefone (47) 3433-2256.
 
Produtos

A Linha Artística da Fornos Jung traz diversas opções de fornos para as mais variadas técnicas: porcelana, faiança, cristal, vidro, baixo esmalte e cerâmica. São mais de 60 modelos nas temperaturas de 900ºC, 1000ºC, 1230ºC e 1300ºC. Por serem de fácil operação, são indicados para profissionais, iniciantes, artistas autônomos e indústrias. Todos os modelos possuem controlador digital de temperatura e são muito versáteis, com um único forno pode-se desenvolver trabalhos diferenciados.

Para os ceramistas, a linha também dispõe de dois modelos de tornos elétricos, com design moderno e um conjunto de características que proporcionam ao artista comodidade e segurança na hora de expressar seu talento.

Conheça todas as linhas da Fornos Jung no site - www.jung.com.br

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Fornos Jung lança novo site

A Fornos Jung completou 30 anos em 2010 e, para comemorar, lançou um novo site, com layout e informações novos. Aqui, você encontra notícias da empresa, as diferentes linhas de produtos, a história, além de dados sobre a participação em eventos e feiras.

Ao mesmo tempo, a Fornos Jung fortalece a presença nas redes sociais com a criação deste blog – Jung e Arte. A ideia é publicar materiais voltados para artistas plásticos e para os interessados na linha artística da Jung. A empresa também tem perfis no Orkut, Facebook, Flickr e Twitter. Não perca tempo e participe de nossas redes!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Fornos Jung lança novo equipamento para indústria cerâmica

A Fornos Jung desenvolveu um novo forno para cerâmica industrial. É o modelo TC300012, do tipo carro, que tem capacidade de 3.000 litros e atinge a temperatura máxima de 1230ºC. Entre os diferenciais do forno, que tem 1,5 x 1 x 1,2 m, estão a alta produtividade e baixo consumo de energia. O equipamento é indicado para queima de cerâmica, em objetos de grandes dimensões ou ampla quantidade de peças.

Com o fundo no formato de carro, o processo de carga e descarga do forno TC300012 é mais ágil, tornando-o mais produtivo. É possível ainda fabricar um carro adicional para deixar a próxima carga pronta, enquanto outra está sendo queimada no forno.

Pela utilização de fibra cerâmica como isolamento térmico das paredes, o TC300012 da Fornos Jung apresenta baixo consumo de energia, proporcional à carga. Já o carro conta com uma camada de tijolos e concreto refratário para suportar cargas pesadas e, ainda assim, ter longa vida útil.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Técnica “falso vitral” - como fazer o desenho no vidro

1. Escolha um belo desenho a ser transferido para o vidro. Em seguida, faça a arte em um papel, exatamente no tamanho desejado.

2. Coloque o desenho sob o vidro. Prenda as pontas da folha ao vidro com um pouco de fita-cola ou com outro material. Assim, evita que o papel se mova enquanto faz o contorno.

3. Com a pasta de contorno, comece a fazer o desenho no vidro. Pode iniciar a figura a partir do centro ou de uma das pontas, como for melhor. À medida que avança no contorno, tenha cuidado para não estragar a parte que já fez, pois a pasta ainda não está seca.

Dica importante: entre cada aplicação, o ideal é limpar a ponta da bisnaga de pasta num filtro de papel para remover os resíduos que ficam.

4. Ao terminar o contorno, tire a folha com o desenho. O próximo passo é deixar secar bem, por no mínimo 24 horas, antes de começar a pintar com as tintas de “falso vitral”.

6. Quando o contorno estiver bem seco e antes de aplicar as tintas, é importante limpar o desenho para remover o pó que ficou no vidro. É possível utilizar um pincel grosso.

As dicas foram retiradas do blog Arte em Vidro. Acesse!


quarta-feira, 23 de junho de 2010

Fornos Jung na Europa

O diretor da Fornos Jung, Diogo Jung, embarca para a Europa no dia 28 de junho acompanhando um grupo de empresários catarinenses em visita à indústria espanhola Hormesa, com quem a empresa blumenauense fechou parceria no início do ano.

Depois de passar por Madrid, cidade sede da Hormesa, o grupo irá também a Lyon, na França, e Ostrava, na República Tcheca, onde visitará dois clientes da companhia espanhola. As fábricas abrirão suas portas para que os empresários conheçam de perto as linhas de produção em funcionamento.

Diogo acompanhará a comitiva de potenciais clientes que tem interesse em comprar fornos Jung-Hormesa ainda não disponíveis no Brasil. Os catarinenses pretendem adquirir uma grande linha de equipamentos. “Mostraremos a eles todo o potencial de nosso parceiro em fornecer a tecnologia. A fabricação deverá ocorrer no Brasil, nas instalações da Jung”, explica Diogo.

A parceria entre Jung e Hormesa possibilita a fabricação de fornos industriais para fundição de alumínio voltados ao mercado nacional com mais tecnologia. Os novos fornos possuem um conceito de alta eficiência energética e tecnologia diferenciada, que proporcionará aos clientes o menor custo operacional possível.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Jung recebe moção da Câmara Municipal

Nesta segunda-feira (21) a Câmara Municipal de Vereadores homenageou empresas pela longevidade e contribuição para a economia de Blumenau. A Fornos Jung foi uma delas, por indicação do vereador Fábio Fiedler (DEM). Ao falar do momento econômico que a cidade vive, Fiedler ressaltou a participação da Fornos Jung nas últimas três décadas: “A Fornos Jung é um exemplo. Soube atravessar ao longo dos últimos 30 anos tudo o que a cidade e o país viveram”. O diretor da Jung, Diogo Gustavo Jung, reforçou essa relação entre o empreendimento e o município: “Nossa empresa tem orgulho de ser blumenauense e fazemos questão de demonstrar isso. Cada produto entregue traz uma cartilha vinculando-o ao município”, apontou.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Fornos Jung é homenageada em sessão solene

Na segunda-feira, 21 de junho, às 15h, a Câmara Legislativa de Blumenau promove sessão solene em homenagem aos 30 anos de fundação da empresa Fornos Jung. O evento será no Plenário José Henrique Flores Filho. A ideia é homenagear a atuação da indústria na cidade.

A história da Jung começou em 1980, com o desenvolvimento do primeiro forno para porcelana utilizando fibra cerâmica como isolante térmico e com resistências apoiadas na fibra. Isso evita o uso de materiais refratários, que são mais pesados, mais suscetíveis à quebra e gastam mais energia durante o aquecimento.

Linha Artística - Tornos elétricos para cerâmica

Conheça o novo catálogo da empresa Fornos Jung, de Blumenau. O material apresenta a linha de tornos elétricos para cerâmica. Você pode conhecer outras linhas de produtos da indústria, acessando o site da Jung.


terça-feira, 15 de junho de 2010

A arte do falso vitral

A pintura sobre o vidro é uma técnica decorativa com a qual se pode fazer trabalhos muito bonitos. É aplicada uma técnica diferente das usadas nas pinturas em tela. Porém, ambas necessitam de habilidades para desenhar e pintar.

A técnica de "falso vitral" difere bastante da técnica de pintura sobre o vidro. No “falso vitral”, primeiro é feito o contorno do desenho sobre o vidro com pasta de relevo. Depois, é preciso preencher os espaços com verniz para vitral.

Na pintura sobre o vidro, o desenho e preenchimento são feitos livremente sobre o vidro numa única etapa. Na técnica de “falso vitral” existe o contorno do desenho, feito em uma primeira etapa e o preenchimento da figura é realizado na segunda etapa. Os resultados obtidos por essas técnicas são diferentes.

Os desenhos da técnica de “falso vitral” não são realizados à mão livre. Tudo, inclusive o contorno, é previamente definido. As linhas são feitas para que o desenho possa ser transferido para o vidro.

No “falso vitral”, o vidro não é cortado em diferentes peças, colorido e posteriormente unido, como acontece no vitral. A aplicação da pasta de contorno imita a impressão desse corte e, por isso, a técnica é chamada "falso vitral". A ideia é transmitir a impressão de um vitral em uma peça de vidro única.

O texto acima foi modificado e retirado do blog Arte em vidro. Acesse: http://arteemvidro-mevaristo.blogspot.com/

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Entrevista com a artista plástica Claúdia Macedo

A artista plástica plástica Cláudia Macedo, de Fortaleza, fala um pouco sobre o trabalho que realizada com vidro fundido. Vale a pena assistir e ver as belas peças produzidas pela profissional.

Novo catálogo da Fornos Jung

Confira, abaixo, o novo catálogo da Linha Artística da Fornos Jung, de Blumenau. Há diversas opções, para as mais variadas técnicas: porcelana, vidro cerâmica, entre outros. A empresa possui várias linhas de produtos e você pode conhecê-los no site da Jung




segunda-feira, 17 de maio de 2010

A arte de transformar o vidro

Frágil e resistente ao tempo. O vidro é um tanto enigmático. Transformá-lo em arte requer paciência, bons equipamentos e muito conhecimento.

O setor de artesanato brasileiro movimenta cerca de R$ 28 bilhões por ano. Estima-se que 8,5 milhões de pessoas estejam de alguma forma vinculada aos trabalhos artesanais. Uma das técnicas que vem se destacando e ganhando adeptos é o “fusing”, que consiste em expor vidros a temperaturas elevadas, deixando-os maleáveis para tomar novas formas. Com a técnica é possível fazer objetos que atualmente contam com alto valor agregado no mercado, como bijuterias, cinzeiros, vasos, peças de decoração e pastilhas de vidro, muito utilizadas para revestir piscinas, bancadas, banheiros e proporcionar acabamentos diferenciados em projetos especiais de arquitetura e decoração.

Para os consumidores, o grande diferencial é que é possível perceber a delicadeza e a exclusividade de cada peça produzida a partir do “fusing”. Outra vantagem é que, com a técnica, a tinta não tem nenhum contato com o lado externo do vidro, o que torna a cor e o brilho inalteráveis sob a ação do tempo. Na era das ações sustentáveis, o “fusing” também se destaca por promover a reciclagem do vidro, permitindo que peças que seriam descartadas no meio ambiente se transformem em novos objetos.

O primeiro passo para quem tiver interesse nesta arte é buscar ajuda de pessoas especializadas. Um bom curso diminui o risco de tentativa e erro e encurta o caminho para um melhor resultado, além de economizar investimentos. A compreensão a respeito do controle de volume do vidro é fundamental. Moldar, cortar e colar o material não é uma tarefa simples. O vidro expande e retrai com o calor e o domínio desse conhecimento particular fará toda diferença para quem vai se aventurar no “fusing”.
Equipamentos – Um bom forno é essencial para quem quer produzir belas peças a partir do “fusing”. A Fornos Jung conta com 15 modelos standard de fornos para esta técnica, com tamanhos diversos para produzir desde peças de bijuterias, pastilhas de vidro, até vasos e outras peças de decoração. Com temperatura que atinge até 900º graus, os Fornos Jung permitem que o vidro tome a forma desejada pelo artesão.

Além dos fornos para a reciclagem de vidro, a Linha Artística da Fornos Jung traz diversas opções de fornos para as mais variadas técnicas: porcelana, faiança, cristal, vidro, baixo esmalte e cerâmica. São mais de 60 modelos nas temperaturas de 900ºC, 1000ºC, 1230ºC e 1300ºC. Por serem de fácil operação, são indicados para profissionais, iniciantes, artistas autônomos e indústrias. Todos os modelos possuem controlador digital de temperatura e são muito versáteis, com um único forno pode-se desenvolver trabalhos diferenciados.

Para os ceramistas, a linha também dispõe de dois modelos de tornos elétricos, com design moderno e um conjunto de características que proporcionam ao artista comodidade e segurança na hora de expressar seu talento.

Sobre a Jung

A história da Jung começou em 1980, com o desenvolvimento do primeiro forno elétrico para porcelana. Devido aos excelentes resultados e empreendedorismo da equipe, novas linhas de produtos foram desenvolvidas, nas linhas de Fornos Artísticos, Industrial e Laboratorial de maior complexidade, além dos fogões elétricos. A Linha Industrial é o principal viés de crescimento da empresa, contando hoje com o que há de mais moderno no segmento de fornos e estufas, com destaque nos equipamentos de operação contínua, possibilitando qualquer grau de automação, ferramentas para aumento da produtividade, baixo consumo de energia e variados sistemas de movimentação da carga. Atualmente a Jung produz mais de 100 opções de equipamentos standard e modelos especiais desenvolvidos para necessidades específicas dos clientes.

Conheça todas as linhas no site - www.jung.com.br

Na foto pastilhas produzidas a partir da técnica fusing.